11 dezembro 2011

Viajando com um bebê

Viajar é sempre maravilhoso. Sou super "batedora de pernas" como diz a minha querida tia-avo-cearense-da-gema. Sempre a-m-e-i viajar. Nao parei nem na gravidez( meio que sem querer saber, claro). Luigi dentro da minha barriga esteve em 4 continentes e pisou em 7 paises. Nao senti nenhum enjoo e nao tive nenhum problema. Parei de viajar aos 6meses de gravidez, quando cheguei aqui na Italia.

Depois que ele nasceu, nao esperava viajar assim tao cedo. Esperava deixa-lo crescer um pouco para entao voltar a fazer uma das coisas que eu mais gosto na vida. Porém, antes de qualquer coisa um bebe que mora no extrangeiro precisa de uma identificaçao internacional para sair do pais. E isso aqui onde eu moro seria impossivel de conseguir, visto que a Repartiçao Internacional Brasileira que representa a regiao aonde eu moro(norte da Italia) esta situada em Milao.

Poderia ter esperado mais para ir registra-lo no Consulado Brasileiro em Milao. Assim, evitaria viajar com ele tao pequenininho.Porém sou daquelas que gosta de estar preparada para qualquer situaçao. Tive medo de precisar viajar ao Brasil de ultima hora. Ou ter que sair do pais por algum motivo e ter impedimento por conta do bebe nao ter passaporte. Entao, resolvi ir logo.

Luigi ja estava registrado aqui no Comune(a prefeitura daqui), ja tinha até um registro internacional que o proprio Comune tinha dado. Mas isso nao serve para sair do pais né? Entao, pegamos as trochas e seguimos viagem.

Preparei as roupinhas, fraldas de pano e descartaveis, muitos agasalhos, luvinhas, meinhas, tocas, etc. Saimos de casa eram 5:50 da manha. Luigi super-agasalhado no seu carrinho, ja mamado e dormindo. Acordei bem antes para preparar tudo, colocar milhoes de roupas de frio e deixar o tanque do babe cheio, para nao chorar ou reclamar no caminho.

Em Bologna trocamos do onibus para o trem. No onibus foi bem tranquilo, entramos com o carrinho montado, Luigi dormindo e as bolsas muito bem divididas. Levamos uma mochila com nossas coisas, a bolsa do Luigi com suas coisas, o tripé da camera, e um sacola com agua e lanchincos. Tudo bem sistemado e organizado. Até chegar no trem.

Pegamos o trem-bala, aquele que vai a mais de 200km/h e vai cheio de executivos e homens de negocios. hoho Quando chegou o casal jovem atrapalhado com um bebe, todos olharam. Claro, isso é normal aqui. Normal as pessoas te olharem né, porque jovens terem filhos aqui é raro. abre parenteses rapidinho( Aqui o aborto é permitido e os italianos estao na fase de que quanto mais velho para ter filhos, melhor. Entao voce ve as titias sendo maes com idade super avançada. NADA contra meu povo. Sou totalmente a favor que voce tem que ter uma estabilidade para ter uma criança, até mesmo para oferecer melhores oportunidades às mesmas. Mas aqui o lance é sério mesmo. Eu e o Alan andamos na rua e o povo olha pra gente com uns olhos de: "Que absurdo, essas crianças com outra criança!" Sem contar que eu sempre aposto com a minha mae que a mae-com-cara-de-vovo da rua, nao é a mae da criança. fecha parenteses)


Depois de um espetaculo de confusao e trapalhadas, conseguimos nos acomodar com a ajuda de alguns passageiros-simpaticos e a cordialidade da moça que nos concedeu o seu lugar para ficarmos um do lado do outro, visto que nossos assentos era um na frente do outro. Super odio da moça da agencia!

Levamos o carrinho do Luigi porque sabiamos que andariamos muito em Milao, e o Luigi(e nos!) ficaria mais confortavel no carrinho que no canguru ou no colo. Entao que o trem foi tao rapido que so deu tempo do Luigi mamar para chegarmos. Estavamos totalmente tranquilos, achando que ia demorar ainda pelo menos uma meia hora quando perguntamos aonde era aquela parada. A moça respondeu: -Milao. Ha??? Ja???

E a confusao comecou de novo. Coloca roupa do Luigi. Macacaozinho-forma-de-ursinho ok. Luvinhas, toca, cobertor por cima.(Ele sempre se irrita quando a gente cobre ele antes de sair pro frio. Fica puto mesmo, por causa do calor, ai depois que sai, fica calminho e dorme com o balanço do carrinho). Casacos em mim e no Alan ok. Luvas e tocas também. Mochila nas costas. Bolsa do Luigi no braço. Armaçao do carrinho em uma mao, a outra eu me seguro. O moisés com o Luigi dentro com o Alan. E a sacola dos farofeiros de lanchinhos também.

Tudo pronto e chegamos. Fomos atras do metro para chegar ao Consulado. Tickets na mao. Rumo à outra aventura. As escadas do metro e a multidao de gente. Olhos bem abertos nas bolsas, pois Milao ja nao é mais tao seguro assim. Sobe carrinho, desce carrinho. Entra com o carrinho, sai com o carrinho. Elevadores, escadas rolantes, escadas normais. Pista, calçamento, calçadas. Barulho, muita gente. Claridade do sol, luz artificial. Frio, calor. Frio, calor. Cobre, descobre. Pense numa aventura! Pois é...

E o Luigi?

Ahh, meu filho? ha-ha

Dormindo.

So acordava quando ficavamos muito tempo parados. Quando voltavamos a mover o carrinho ele dormia de novo. Mamava sempre que pedia. A gente ficava super atento a isso. Quando ele reclamava, procuravamos um lugar quentinho e tome gasolina! Opsss, leite.

Ficamos umas 2h no Consulado, fazendo seu registro de nascimento brasileiro e seu passaporte. Chegamos com 2h de antecedencia. Tinhamos marcado a hora no site do oficial do Consulado. Mas por sorte fomos atendidos antes. Depois de tudo pronto. Fomos dar uma volta por Milao. Eu nao conhecia a cidade. Ja embarquei e decolei varias vezes no aeroporto de Malpensa, mas nunca tinha ido à cidade conhece-la. Sempre ia direto pra cidade da mamae.

A cidade nao tem nada de MAIS além das lojas mega CARAS de marcas famosas e a igreja Duomo le a galeria que tem na frente da igreja. Tem um castelo também, mas nao fomos ver. Passamos a tarde por la e de noitinha fomos pra estaçao de trem novamente para pegar mais um trem. Dessa vez com destino a Torino.
Luigi olhando a paisagem no trem
Milao é legal mamae

Duomo

Mamae e Luigi

Mamae-cara-de-morta-de-cansada e baby Luigi mamando

Bebe arrotando


Chegamos a noite em Torino. A amiga dos pais do Alan(e agora nossa também) ja estava la nos esperando. Chegamos super-cansados. Demos banho no Luigi, vestimos-o com roupas limpinhas e ele ficou um tempinho enjoadinho, mas nada demais. Jantamos uma comidinha super gostosa que a Catia preparou para nos. Depois de conversarmos um pouco, fomos dormir pois estavamos so o caco!

Comentei com o Luigi: "Pow filho, bem que voce poderia dormir umas 6h né? Pra mamae e o papai descansarem". Dormimos as 22h. às 3h da manha Luigi começa com os seus "éh éh", ele fica assim até se emputar de vez e chorar para mamar. Porém, muitas vezes ele faz o"éh éh" e volta a dormir. Entao eu sempre espero pra ver se ele vai voltar a dormir ou se vai acordar de vez.

Deixei ele la e adivinhem so! Dormiu de novo e acordou as 4:20am. Dormiu 6h20min direeeeto. Nem acreditei! Mamou, mamou, mamou, troquei a fralda e dormiu de novo. Que deliciaaaaaaa! Amo esse meu filho! Ele sempre entende quando eu estou morta-de-cansada e preciso de umas horinhas a mais para dormir. Ele acordou de novo so umas 8h. Mamou, se arrumou e ficou esperando a gente tomar cafe da manha bem quietinho no colo da tia Catia.

Depois passamos o dia conhecendo Torino. E que cidade LINDAAAAAA! Torino sim, é linda, linda, linda. Muita coisa pra conhecer, muitos pontos turisticos. Varios parques. Muitos castelos. Uma cidade dos sonhos! Mais linda do que ela, pra mim(das cidades que eu conheço claro) so Barcelona. Ahh, Barcelona e eu temos um caso de amor eterno.

Nos em Torino


Tia Catia e Luigi

Torino é legal mamae

Depois de mamar, embreagado na mesa do bar

Catia, fofissima e nos em Torino



Viemos para casa no outro dia de manha. Mas dessa vez ja estavamos com pratica ao montar e desmontar o carrinho. Subir e descer escadas com ele e levar as bolsas. Agora temos toda uma técnica! hoho

Viajar com um bebe recem-nascido nao é la muito facil, mas acho que é menos dificil que com bebes maiores pois o Luigi so mama no seio. Entao, nao tive que me preocupar com comida pra ele. Ele dorme bastante pois ainda é pequenininho. O unico problema é o medo de doenças. Morro-de-medo! Mas nao deixo de viver por isso. Ando sempre com alcool em gel e tento sempre deixar tudo limpo, apesar de falhar varias vezes por preguiça ou esquecimento. Mas eu tento né?

Luigi até agora ta super bem. Mas qualquer respiraçao mais forte, eu ja tremo na base. Sempre brinco quando me dizem que ele é novinho pra sair muito assim dizendo que ele tem que adiquirir anticorpos. Mas la no fundo o que eu faço mesmo é pedir a Deus que guarde meu pequeno de todo o mal e de toda dor. Que lhe de saude e que me ajude a ser uma mae melhor a cada dia.

Pra finalizar olhem so o passaporte do senhorito Luigi Formagio, que nem nasceu direito e ja pode viajar pro exterior. Ta muito abusado né?

Certidao de Nascimento Brasileira