25 maio 2012

Nossos dois anos de amor

Há 2 anos atrás um rapaz estava em uma baladinha da Gold Coast chamada SinCity, ele viu uma mocinha que estudava na sua sala e que costumava compartilhar gentilmente o seu dicionário, chegou na sua frente e disse: Você é a menina mais linda da escola.(bem clichê né? Para não dizer brega!!! Tão, tão, tão brega que a mocinha nem quis saber se era verdade, achou fofo mas lançou: Você é muito novo para mim. Sou DOIS anos mais velha que você, desculpa gato, mas não vai rolar.

O mocinho foi valente, resistente e seguro, encorporou seu olhar mais sedutor, tipo conquistador, vestiu as roupas da maturidade e confiança e disse-lhe: (frase censurada!)*
A mocinha sorriu sem jeito, não esperava tal atitude daquele pivete, comparado àquela grande mulher que ela se auto-intitulava, no auge dos seus 21 anos de pura experiência de vida, maturidade e sabedoria, lhe deu um beijo no rosto e susurrou: Nós somos apenas amigos, sorry.

O rapaz, como já mencionado, tinha uma auto-estima invejável, e realmente acreditava que aquela mocinha que ele compartia as manhãs de aulas de inglês, era a escolhida para ser a mãe dos seus filhos. Ele estava decido em conquista-la. Eles aproveitavam as suas noites, cada um com seu grupo de amigos, mas ele não a perdia de vista, pensava: "Vou conquistá-la, vou beija-la e ela vai se render aos meus encantos". A mocinha pensava: "Ai, aquele carinha da minha sala, ele é tão legal, inteligente, bonito, mas é um pirralho para mim, não, não rola!"

Naquela noite o mocinho resolveu insistir com a mocinha para ver o que rolava, ele tentou, tentou, tentou, e ela sempre irredutível: "Não cara, de boa, sou mais velha que você. VAZA!" O mocinho se decepcionou e foi embora, eles se distanciaram na escola, perderam a amizade e nunca mais voltaram a se falar direito depois dessa noite.


***


A estória não teve um final feliz. Estória mesmo com "e" porque ela não foi real. Não totalmente.

Naquela noite de balada, depois de uma dosagem suficientemente válida de alcool a mocinha foi contagiada pela auto-estima daquele rapaz e acreditou em todo o seu potencial de beleza "Sou a garota mais linda da escola!", o mocinho tentou, tentou e tentou, a mocinha rejeitou, falou, esnobou, até que.. tchan! Foi o beijo mais gostoso que ela sentiu, e aquela frase censurada realmente ganhou sentido quando ela beijou desafiadamente aquele pivete para ver se ele dava conta do recado como ele tinha dito prometido.

Ela não se arrependeu, e não se arrepende até hoje. Dois anos desde que aquele beijo aconteceu e tanta coisa mudou, de mocinha ela se tornou mulher, de mulher ela se tornou mãe, de mãe ela está se tornando esposa. O mocinho foi uma das melhores coisas que aconteceu na sua vida, e apesar de muito ter mudado uma coisa é permanece: Aquele beijo. Ah, aquele beijo! -Suspiros.


***


Parabéns para nós Milena e Alan, pelos nossos 2 anos de muito sentimento, muito aprendizado, carinho, respeito e amor. Parabéns para o nosso bebê que faz 7 meses hoje, o pedaço do nosso amor. Obrigada por compartilhar a vida comigo. Te amo muito.

Milena Lanne Barros Eleotério Formagio



21 maio 2012

Uma história

Um dia quando o Luigi tinha uns 3 meses mais ou menos, eu e o Alan estávamos assistindo um jogo do Palmeiras contra o Santos(será que era o Santos? Hein amor?), o jogo foi super acirrado, o Palmeiras estava jogando muito bem mas perdia por dois a zero. Até que o Palmeiras fez um, fez dois e tchan tchan tchan: Fez 3 no finalzinho do segundo tempo. Virou o jogo e a emoção foi tanta que o Alan gritou GOOOOOOOOOOOOOOOOLLLLLLLLLLLLLL e eu segui o ritmo e também vibrei o gol do time querido, Luigi estava na nossa frente olhando para a gente, na mesma hora fez um bico encantador e começou a chorar. Tadinho ele se assustou com a loucura desenfreada desses pais malucos que ele tem. O tempo passou e novos gols foram sendo comemorados e vibrados, o menino fez 6 meses(tá pertinho de fazer 7 já) e até hoje quando escuta alguém falando goooooooooooooooolllllll ele faz um biquinho e ameaça chorar. É a coisa mais linda do mundo gente, e eu assumo, as vezes falo só para ver esse biquinho lindo da mamãe, mas aí depois abraço, mordo, beijo, e como com cobertura de chocolate porque nunca vi coisa mais gostosa nessa vida!!!!




Eu devo tudo à Ele

 Estamos no Brasil, e estamos aproveitando de-mais a família e os amigos, tá sendo realmente uma delícia e tô muito feliz por ter vindo ao Brasil com o Luigi assim pequenininho, porque fala sério, bebês são umas coisas lindas e queridas né? Tá todo mundo apaixonado junto comigo, e babando muito o príncipe.

E entre felicidade e realização tô cheia de duvidas! Não quero voltar pra Italia, tenho passagem de volta pro próximo mês mas juro que quero ficar pelo Brasil, ainda precisamos voltar para tirar a nacionalidade italiana que tá de rosca, estamos esperando a resposta do consulado italiano aqui em Fortaleza para então decidir alguma coisa, se sair voltamos pra Italia, se não, creio que vamos ficar, não quero voltar para a Italia com o Luigi e o Alan ficar, não quero mais esse negócio de ficar longe, não gosto, não me deixa feliz.

Juro que tô num dilema só. Sei que na Italia é melhor pra criação do Luigi em alguns aspectos(financeiros principalmente!) mas não abro mão da familia, dos amigos e da minha vida social no Brasil que eu tanto amo e acho essencial. Ai ai ai, que que eu faço? Bom, tenho algumas novidades mas quando acontecer eu registro por aqui, minha vida mudou totalmente desde que eu fui para a Australia, fui solteira, em busca de novas experiencias e aperfeiçoar o inglês, voltei com o inglês, um curso de administração, um filho, um quase-marido, sonhos realizados antecipadamente e outros adiados temporariamente por causa das circunstâncias. Que coisa estranha e doida é essa vida né?

Mas óh, tô feliz. Amo muito o Alan, amo o nosso filho e a familia que a gente tá construindo meio que "sem-querer", realmente ultrapassamos e trocamos a ordem dos acontecimentos mas tá dando certo, tudo pouco a pouco e com muito amor, dedicação e força de vontade.

Obrigada Deus por essa vida, obrigada Deus pela minha vida e de todos aqueles que eu amo. Sou muito grata a Ti. Sou uma filha rebelde Senhor mas reconheço que tudo o que eu tenho eu devo a Ti, eu entrego a Ti e peço que me acompanhes sempre até o fim dos meus dias. 

foto tirada nos lençóis maranhenses este mês quando estávamos em SL

07 maio 2012

Sampa

Ficamos 13 dias na terra da garoa e foi mais ou menos assim:

Ainda falta tanta foto, tantos momentos, mas tive que postar logo pra nao passar muito tempo. Ja estamos com saudades de Sampa! Voltamos em junho pra la ;)




































01 maio 2012

Primeira papinha, alguém dá uma ajudadinha???

Tenho que registrar umas coisas se não eu esqueço, como por exemplo:
*Luigi "falou" papapapa e mãmãmãmã mas não levei em consideração porque para mim são apenas sílabas soltas, quando ele olhar para mim e associar que mãmã sou eu e não qualquer coisa, aí sim marcarei como: primeira vez que ele me chamou de mamãe. Não vejo a hora by the way!

*Comeu até hoje banana-maçã, mamão, pêra, biscoitinho tipo maisena só que especial para bebês( comprei na Italia)suquinho de laranja-lima puro e com cenoura, umas colheradas de papinhas variadas que seu primo Matteo estava comendo e a maluca aqui deu para o filho provar, e uns grãos(pode-se chamar assim?) de pão francês. Porque ele ficou chupando o pão até que arrancou um pedaço e eu tirei por medo dele se engasgar.

Perguntas: ainda não dei a primeira papinha e tô numa duvida só. O que que eu faço pro menino comer???? Gente fala sério a comida do Ceará, do Maranhão, de São Paulo e da Itália são diferentes, que que eu faço? Quem eu sigo? Quem eu escuto?
Nota muito importante que ta me deixando escucada e maluca: bebês não precisam de sal ou açúcar, isso todo mundo sabe mas ninguém ou quase ninguém sabe o porque. Li uma vez que os bebês não têm o fígado pronto antes dos 2 anos e por isso não conseguem filtrar o sal. Ai gente, to postando pelo cel e desculpem se a informação está vasta, errada ou incompleta, assim que entrar em um pc e tiver um tempinho dou uma pesquisada novamente e atualizo o post. Enfim, li isso e com certeza sou contra dar sal ou açúcar, ou qualquer porcariada para bebês. Eles estão em uma fase de formação, precisam de alimentos saudáveis e nutritivos então pra que dar porcaria para eles agora??? Eles vão ter o resto da vida para comer as coisas deliciosas e maléficas e engordativas então eu prefiro esperar o máximo que der para apresentar esse tipo de comida ao meu pequeno. Então que: antigamente as papinhas e alimentação dos bebes era diferente, geralmente começava a introdução de sólidos aos 3 meses, com direito a comidas com sal, temperos do nosso dia a dia e mantega. Como assim??? E o negocio de introduzir um alimento por vez e observar se o bebe tem alguma reacao alergica? Antigamente nao tinha esse cuidado? Olha eu sinceramente nao entendo e nao sei. Minha mae me deu comidinha sem "frescura", minha sogra também o fez com meu namorado e cunhada. Com direito a sal, mantega, tempero e legumes misturado com CARNE quando o bebe tinha 4 meses. Aí eu pergunto de novo: como assimmmmmm????? Aí eu olho pra mim, pro meus irmãos, pro meu namorado e cunhada e vejo que somos felizes e somos saudáveis.
Aí eu olho pra dentro de mim e me pergunto até que ponto eu devo ser "fresca" ( usarei uma palavra mais gentil- cuidadosa) ou desencanada.
Começo a papinha do menino com as receitas das avós pitaqueiras de plantão? Ou faço segundo o que eu leio? Coloco a tal da pitada de sal ou faço uma dieta restrita dedicada e cuidadosa( e estressante também ne? Porque haja paciência para aguentar todo esse povo me enchendo o saco e me chamando de fresca)??????

Isso ta me deixando maloooooca gente. Da aí um help vai. Contem como foi aí na casa de vocês.