23 setembro 2014

O nascer da vida

Desde que o mundo é mundo, o parto é parto. Desde que o mundo é mundo mulheres têm gerado, acomodado e parido os seus bebês. Com o avanço da tecnologia e de uma década pra cá isso foi se tornando algo anormal. Hoje parir é algo anormal. Normal é um intervento cirurgico, com direito a uma sala gelada, bebê nascendo antes de estar totalmente pronto, sendo direto levado para a incubadora, tendo o cordão umbilical cortado imediatamente após o nascimento e claro,  data e hora marcada para o evento social acontecer, porque afinal, é muito mais conveniente saber quando e que horas o bebê vai nascer.

Falar sobre isso é algo extremamente polêmico, como a querida Bruna disse no seu Blog: Nossa História, em um post recente. E o meu intuito hoje não é gerar polêmica e sim informar você mulher sobre esse assunto tão especial para as que desejam ser mães.

Primeiramente, dividirei o assunto em fases, pois é um assunto tema muito grande e não dá pra falar em um post só. Entao, vamos lá:

Embora a cesariana seja indicada e necessarias em alguns casos, o método natural continua sendo a melhor forma de dar à luz. Mesmo assim, o País registra muito mais cesarianas do que os 15% recomendados pela Organização Mundial da Saúde (OMS). A taxa nacional é de 39% e em todos os estados das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste esse índice é superior a 40% - segundo dados de 2002 do Sistema de Informações de Nascidos Vivos (Sinasc).

Parto Normal X Cesárea

Os benefícios do parto normal são inúmeros, tanto para a mãe como para seu bebê. Vão desde uma melhor recuperação da mulher e redução dos riscos de infecção hospitalar até uma incidência menor de desconforto respiratório do bebê. A técnica do Programa Nacional de Saúde da Mulher do Ministério da Saúde Daphne Rattner lembra que a cesariana também pode interferir no vínculo estabelecido entre a mãe e o filho durante o parto. “Se, logo após o parto, o neném é acolhido e abraçado pela mãe, nesse momento se estabelece o vínculo maternal”, observa Daphne. “Após a cirurgia, pegar o neném no colo é dolorido e, como o bebê geralmente é levado para observação, a instalação do vínculo pode demorar mais”, completa.

Na cesariana, também é mais freqüente a ocorrência de infecção e hemorragias, além da possibilidade de laceração acidental de algum órgão, como bexiga, uretra e artérias, ou até mesmo do bebê, durante o corte do útero. A gestante pode, ainda, ter problemas de cicatrização capazes de afetar a próxima gravidez. A freqüência dessa cirurgia também limita a possibilidade de opção pelo número de filhos. “Nenhum médico deixaria uma mãe chegar a realizar seis cesarianas; geralmente as mães são esterilizadas após a terceira cirurgia”, assinala Daphne.

A incidência de morte materna associada à cesariana é 3,5 vezes maior do que no método natural. “Os riscos são inerentes à própria cirurgia, a começar pela anestesia, em que a possibilidade de uma reação é imprevisível”, afirma a técnica da Saúde da Mulher.

22 setembro 2014

Um não ao conceito "mãe perfeita"

Esse texto foi escrito originalmente no dia 05/12/12 e foi ao ar no site mais querido de mães MMqD, ele pode ser lido originalmente aqui.

Ser uma super mãe não é deixar de viver sua vida para viver a vida do filho. Somos seres humanos individuais que merecemos atenção, tempo e cuidado também. Você errar em algum sentido não é ser menos mãe, você se acomodar no erro, ter consciência dele e não querer uma mudança sim. Mas nós mães queremos ser perfeitas, queremos o melhor para os nossos filhos, queremos que tudo saia como planejado.

Sinceramente? Quando se trata de pessoas nada pode ser milimetricamente planejado. A gente pode dar tudo de nós, fazer sempre o certo, isso é maravilhoso por um lado - Consciência tranquila em relação à nossa conduta como mães. Mas no momento que você dá o seu melhor, você espera o melhor. Isso é o retorno que você espera naturalmente de todo o seu esforço, dedicação e amor. Não adianta falar: Amo meu filho, educo, ensino o certo e não espero nada em troca. É mentira!

Eu amo meu filho, ensino sobre o amor, cuidado com a natureza, dou educação, dou estudo, dou alimentação saudável, dou carinho, afeto, vínculo, amamento, não ofereço remédios em vão, não incentivo ao consumismo. Tudo isso em troca de que ele seja uma criança saudável, um adulto responsável, sociável, confiante, forte, pensante, formador de opinião, resolvido, feliz etc. Essa é a troca que eu espero e isso é involuntário.

Sou a mãe perfeita? Não. Definitivamente não. Dou muito de mim ao meu filho, mas me guardo um pouco também. Luto contra o egoísmo natural que nos é implantado pela sociedade egocêntrica em que vivemos mas ainda tenho meus momentos "eus", "meus", "e apenas eu". E não me acho menos mãe por isso. Me acho uma super mãe, essa é a verdade. Não faço tudo o que eu gostaria de fazer mas o que eu faço pelo meu filho é de todo o meu coração. Todo o tempo que temos juntos é aproveitado por ambos com a intensidade que precisamos.

Sinceramente estou até com repugnância de mães que tentam ser SUPER HIPER MEGA ULTRA perfeitas. Gente, eu me acho uma mãe dedicada, mas nem por isso levo meu filho todos os dias para passear em um parque e ter contato com a natureza, os seus brinquedos não são 100% educativos, a alimentação dele não é 100% saudável, eu não faço atividades estimulantes com ele todos os dias, eu não ensino uma palavra nova a cada dia, ele dorme sem tomar banho várias vezes, ele troca a comida de panela pelo peito várias vezes, ele esfrega a comida no chão antes de colocá-la na boca várias vezes. Ele fica cagado por uns longos minutos várias vezes até que eu - pessoa muito atenta, ui! - perceba.

Pronto, sou uma mãe perfeita porque dou o meu melhor para o meu filho, pesquiso sobre tudo e me empodero da maternidade. Não aceito qualquer coisa que me digam sem antes consultar os universitários, os blogues, o Google, os livrinhos que ganhei no postinho de saúde, ou os maravilhosos textos da Ligia (cientista que virou mãe). Aceito o que é certo, o que estudos me mostram que está certo, não o que a vizinha disse que a prima do marido passou. Não o que o médico, o dono da farmácia, a tia ou a avó me diz.

Aceito o que eu acho que é certo baseado em estudos, mas nem sempre trago pro meu mundo tudo o que é certo. Não porque não queira. Ahhh, na verdade tem mil porquês. Não trago porque não quero, porque na minha casa funciona de outro jeito, por preguiça, por cansaço, por conveniência, etc.

A verdade é que eu estou cansada dessas mães tentando serem perfeitas na blogosfera e nas redes sociais. Gente, quando geramos expectativas demais em algo e isso não acontece gera frustração, conhecem isso? Você é radical, não dá NA-DA artificial pro bebê(s), não deixa a comida passar do horário um dia sequer, todos os dias faz atividades montessorianas com o menino. Lave as mãos! Escove os dentes! Não coma do chão! Tá na hora de dormir. AGORA!

Que fique claro que eu não apoio alimentos artificiais para bebês, o meu só come coisas naturais e não come nada com açucar, ele tem 13 meses. Apoio uma rotina para bebês e crianças, apoio cuidados com higiene, cuidados com o intelecto da criança, cama compartilhada, amamentação prolongada, vínculo, estímulos, abomino a prática ao consumismo infantil, o descaso, o desrespeito.

Ahhh Milena então eu não entendi foi nada. O que você quis dizer com tudo isso? Gente, por favor eu não concordo com RADICALISMO, extremos, cobrança excessiva, expectativas radicais. Você merece ser você, você merece ser feliz. Empoderamento é buscar informação e saber trazê-la pro seu lar da melhor maneira possível, sem stress, sem essa auto-cobrança incessante, na verdade é esse sentimento de: "O certo é depois de 1 ano o bebê deve mamar 2 vezes ao dia, o pediatra que disse". Meu filho mama em livre demanda e eu não me sinto mal por isso, eu não me cobro porque eu não faço como o pediatra falou.

Passei por uma situação na minha vida que até hoje guardo mágoas. Há uma pessoa na minha família difícil de lidar. Um dia após muito tempo sem vê-la fui deixar minha prima na casa dela para passar uns dias de férias, cheguei na expectativa de ver o seu filhinho que tinha uns 10 meses na época. Com um presente na mão apertei a campainha da casa. Eram 20:30h. Ela abriu a porta e foi super grossa porque tinha me avisado para não tocar a campainha e o bebê ia acordar, ele dormia ás 20h pontualmente. Sai de lá chorando, deixei o presente em qualquer lugar e fiquei muito tempo sem vê-la.

Moral da história: você dedica toda as sua vida, achando que tá fazendo tudo perfeito, com regras, com hora para tudo, cozinhando comida orgânica todos os dias, abrindo mão de muita coisa, sem tempo para nada além do seu filho, para quando ele fizer 18 anos ir morar fora, conhecer uma gringa, casar e ficar por lá, falando com você uma vez por mês. Eu fiquei muito tempo magoada com essa pessoa por causa dessa história que ela poderia ter evitado não sendo extremista e deixando o filho dormir meia hora mais tarde naquele dia.

Enfim, toda essa história para de repente fazer você refletir que você também é uma pessoa que merece cuidado, atenção e amor. O meu amor pelo meu filho é incondicional, sem dúvidas, mas costumo dizer que meu marido é meu grande amor, aquele que quando o filho tiver criado e for viver a sua vida, vai continuar ao meu lado sendo meu companheiro. Filhos são do mundo, sempre tive consciência disso. Ele não é meu, eu apenas finjo que o possuo e aproveito todo o tempo que isso ainda me é permitido.

Espero de todo coração ter passado a mensagem certa. Essa mensagem se destina à mães empoderadas, que sabem o que é o certo, que buscam informação e não aceitam qualquer coisa para os filhos. E não àquelas que precisam de uma desculpa para justificar os erros e ter desmamado o filho com 3 meses para ir pra balada, ou de compensar a ausência com presentes caros.



Amamentação prolongada -SMAM 2013

Semana passada foi a Semana Mundial da Amamentação. Eu sou super ativista da amamentação prolongada e do desmame natural. A Organização Mundial da Saúde recomenda que devemos amamentar até no MÍNIMO 2 anos de idade. Mas a maioria das pessoas não o faz. Sinceramente não vou falar dos benefícios da amamentação prolongada. Quem quiser saber melhor consulte o pai Google ou o site da OMS para verificar todas as maravilhas que nosso leite pode trazer aos nossos filhos.

Reservei este post para deixar registrado a verdadeira face da amamentação prolongada sob meu ponto de vista. Afinal, são 21 meses amamentando everyday o Luigi. Vou começar de uma maneira bem clichê, bem "era uma vez", e tentar passar pra vocês com toda sinceridade como está sendo essa experiência por aqui.

Amamentar prolongadamente é...
Não dormir uma noite inteira por muito tempo.
Não ser mais dona do seu próprio seio.
Dormir em horários alternativos.
Ouvir o filho falar: Pêtcho ou mamá quando quer mamar.
Sentir a mão pegando em um seio quando o outro está sendo sugado. (Tenho arrilia, agonia, tremilique, gastura!)
Ter alguém que te ama mais que tudo.
Ter um vínculo indescritível com um serzinho vindo de você.
Ter um bebê saudável que nem sente nada quando toma vacina.

 Esse post tava nos rascunhos faz um tempão e eu não sei porque não postei antes. Luigi já desmamou com 2 anos e meio e venho logo mais contar como foi.

Beijos da Mi


Trabalhar com Eventos em SP

Sempre me perguntam como começar a trabalhar com eventos em SP. Lógico que antes de começar eu também tinha dúvidas, assim como interesse de entrar na área, justamente por ser algo provisório, uma grana a mais. Eu também comecei perguntando para alguém que me deu indicação de 3 agências: BCA eventos, Trilogia eventos e mais uma que é dessas grandes e não lembro o nome porque nunca fiz eventos com eles. Daí logo depois comecei a entrar nos grupos do Facebook de recepcionistas e promotoras.



Nunca tive paciência pra sentar e escrever tudo pra ajudar alguém que quer começar na área. Quase ninguém faz isso porque é um mundo meio competitivo, como todas as áreas, claro. Resolvi fazer isso pois pessoas muito próximas a mim, que eu quero muito bem e torço, começaram a me pedir. Lembro que essa é a minha experiência, são dicas pessoais e muito gerais. Não ganho nenhuma comissão por indicar as agências abaixo ou grupos.

As agências com a tecnologia atual, postam as suas ofertas nas suas páginas ou grupos nas Redes Sociais. A maioria delas, usa o Facebook, algumas usam o Instagram e outras Redes Sociais ou até mesmo o site, mas sempre divulgam nas suas Páginas ou Perfis no Facebook.

Dos grupos que participo são:

*Recepcionista para eventos;
*Seleções para feiras e eventos;
*Trabalhos/ modelos/atores/eventos SP;
* Casting de Trabalhos para Modelos do Brasil;
* Trabalhos para modelos comerciais;
*Modelo fotografica;
*Portal dos modelos;
*Figurantes em destaque;
*Figurantes em ação.


Para quem fala idiomas:

*Recepcionistas Bilingues;
*Recepcionistas Bilingues e Trilingues;
*Trabalhos Bilingues..

Claro que não vejo cada grupo todos os dias, vejo o que vem no meu feed. Só quando estou com paciência vou procurando de grupo em grupo as ofertas e me inscrevendo pros Jobs.


Pra quem não sabe como funciona funciona da seguinte maneira: Você vê o trabalho, vê se você se enquadra no perfil que a Agência está buscando e se o cachê é condizente com o que você anseia, então manda seu material para que eles analisem, enviem para o cliente e aprovem para o trabalho. O material geralmente é enviado para o email que eles te dão, e as vezes, você pode mandar mensagem no Facebook. Tem que ficar atento ao que eles pedem. Algumas seleções são presenciais, essas eu acho mais eficientes, mas confesso que odeio essas seleções que vão zilhões de pessoas, fui em apenas 3 porque não tenho muita paciência. A melhor maneira com certeza é indicação. Você começa a trabalhar de uma maneira legal e as Agências vão ficando com seu contato e quando precisam te perguntam se você conhece alguém com tal perfil e você indica alguém. Eu só indico quem eu realmente conheço e sei que trabalha bem.


O material que pedem para você enviar geralmente é: Nome, Altura, Manequim, Calçado, Medidas (cintura, quadril e busto), Idiomas, Telefone e fotos de rosto e corpo. Isso varia mas quase sempre é isso. Algumas agências pedem RG e CPF. A maioria das agências, quando você é aprovado pra entrar no Casting mandam uma fichinha e você preenche com várias informações detalhadas e manda de volta pra eles. Então pros próximos trabalho eles já tem seu material, te ligam ou chamam no Facebook e perguntam se você aceita o cachê, horário e se está disponível para tal trabalho, se você disser que sim eles já enviam seu material pro cliente aprovar. Se ele aprovar, você tem trabalho.

O pagamento varia de acordo com as agências, algumas (a minoria) pagam ao final do trabalho em cash, algumas pagam 10 dias após o termino do trabalho, algumas demoram 15, 20 30 dias para pagar. Tudo isso tem que ser conversado antes do trabalho começar entra promotora e Agência. Adoro essas agências certinhas que explicam tudo direitinho por email e conversam com você por Facebook, whatsapp, email e deixam tudo bem claro. Você faz um trabalho legal e ela cumpre sua parte te pagando direitinho na data combinada.


Algumas Páginas das agências no Facebook que eu curto são:

*BCA Eventos
*ProCasting;
*Kap 3 Produção e Casting;
*IT Produções e Eventos;
*HZ Eventos;
*Sexto Sentido Produções;
*Innovare Brasil;
*The Link the Agency;
*Barion Eventos;
*Red Promoções;
*RSG Promoções;
*Maxpromo Eventos e Promoções;
*Realiza Produção e Eventos;
*CW Eventos;
*Line Eventos;
*Copas Eventos;
*Kyncast Eventos;
*BOB Models;
*Pontoprom Produções e Eventos;
*Follow up Buffet;
*BRM models;
*Top Look Publicidade e Eventos;
*JCS Eventos e Promoções;
*Expertise Especialidades;
*ANPS eventos;
*Agencia Fashion Moda Brasil.

Essas são algumas das páginas que eu curto no Facebook de agências de promoções e eventos. Não fiz eventos para todas essas, claro. Algumas tem cachês bons e outras não. Curtam as páginas e fiquem de olho pra ver o que tá rolando por lá. Algumas eu sigo só por seguir, então não sei se são boas, se pagam direitinho, se prestam e etc... As que eu trabalhei e recomendo são PontoProm, Kyncast, BOB models, Follow Up, Barion, HZ, innovare, BCA. Essas são super boas e pagam direitinho. Umas tem cachês mais altos, outras tem mais baixo mas todas pagam direitinho.


Qualquer dúvida deixem nos comentários que se eu souber eu respondo, se eu não souber respondo também.

Beijos e espero ter ajudado.

05 setembro 2014

Uma história sobre escolhas para os meus filhos

Querido Luigi e futuros filhos que ainda não vieram ao mundo,


Sou daquelas pessoas que adora escutar histórias. Daquelas que ama perguntar, interrogar e entender as pessoas - ou pelo menos tentar. Por muito tempo achei que seria psicóloga, justamente por ser tão apaixonada por pessoas e ter paciência de ouvir e ajudá-las a resolverem seus problemas - graças a Deus não fui. Fico extremamente envolvida e reflexiva ao conhecer pontos de vista e histórias de vida das mais diversas possíveis, inclusive totalmente diferentes do que eu vivenciei.

Ontem antes de dormir seu papai me perguntou "Mas como a Fulana de tal mal conhece você e já te contou toda a vida?" Eu respondi "Não sei, amor, talvez eu tenha algo que deixe as pessoas confortáveis para desabafar, talvez elas me achem confiável - ou talvez eu pergunte além da conta mesmo".

O fato é que sei muita coisa de muita gente, e Alan diz que é porque sou *fifi. Tá, eu gosto de saber das histórias, afinal, quem não gosta? Mas não saio espalhando para o mundo, sinceramente sei guardar muito bem segredos. Aqueles que me confiaram tantos quantos, dos mais cabeludos - aos sem cabelo, podem confirmar isto.

Falei sobre isso porque faz um tempo que ouvi uma história sobre um amor que começou sem que uma outra história anterior houvesse acabado por completo. Maria (nome fictício) se envolveu com um homem teoricamente casado, mais velho e rico. Falo teoricamente casado pois a pessoa ainda vivia em casa com a ex-mulher mas não tinham nada há algum tempo. Começou-se um relacionamento e logo foi gerada uma vida. Maria não teve intenção de engravidar e tudo isso gerou um verdadeiro caos.


Hoje Maria tem uma criança, o pai está com eles mas vivem numa situação de perigo constante, já que a ex-mulher os busca para matar constantemente. Maria tenta a qualquer custo ser feliz, mas como ser feliz com um passado que não quer deixar o presente? Maria não pode viver como sempre sonhou. Agora no auge dos seus 30 e poucos, ela tem um marido, uma criança - fruto desse amor -, uma casa dos sonhos, uma conta recheada de verdinhas mas não tem paz, não pode viver e usufruir de tudo o que conseguiu. Pelo menos não por agora.


Como todas as história que eu ouço, eu paro, penso, reflito e guardo. As vezes compartilho com o Alan ou com alguém bem próximo. Quando é algo muito confidencial nem comento com ninguém, apenas guardo. Quis registrar essa história para que um dia vocês leiam e saibam que na vida, diversas coisas podem acontecer. A vida não é nada previsível meus filhos, mesmo que nós a planejemos e aprendamos a programá-la, ela sempre pode nos surpreender de uma maneira boa ou ruim.

Acredito do poder das consequências. Assim foi comigo, assim foi com os meus pais, logo, assim tem sido minhas crenças. Sofremos ou usufruímos das consequências das atitudes e decisões dos nossos pais, ou avós, ou bisavós. Vivenciamos hoje o que plantamos ou o que plantaram no passado. Vocês irão receber o que derem deste mundo e para este mundo.

Acredito no poder das escolhas e na filosofia do plantar e colher. Mamãe escolheu papai. Papai escolheu mamãe. Hoje somos muito felizes, e cada vez que conheço histórias como a de Maria, fico ainda mais certa de que fiz a melhor escolha. Se um dia tiverem dúvidas de qual caminho seguir, escolham o que os fará mais felizes. Espero passar pra vocês o sentido de felicidade que eu e seu pai compartilhamos. Há muita felicidade em pequenas coisas e nem sempre dinheiro é sinônimo de plenitude. Ultimamente tenho cada vez mais visto e ouvido pessoas que tem tudo material mas não são felizes, não tem paz e se sentem vazios.


Voltando a história da Maria. Porque contei essa história pra vocês? Maria escolheu entrar em um relacionamento com alguém que ainda não tinha acabado uma outra história de amor. Por mais que ele não tivesse mais nada com a ex-mulher, eles ainda compartilhavam do mesmo teto, saiam e entravam pela mesma porta, se viam, se falavam. Relacionamento é algo muito difícil meus filhos, e eu acredito que mesmo quando não há mais amor entre o casal, ainda que esteja claramente desgastado e morto o relacionamento, lá no fundo ainda há sentimentos, existe uma história e muito apego à ela. Ao ver que o marido saíra de casa para viver um novo amor, a ex-mulher sentira de verdade a perca de tudo o que viveram. 

Há como julgar algo ou alguém nessa história? Há como dizer quem está errado ou quem está certo?

A ex-mulher não quer milhões de reais que lhe cabem como metade pela separação, ela não quer a casa de campo ou a da praia. Ela quer o marido de volta, mesmo que ele não fosse mais seu há muito tempo, ela quer aquele apego, ela quer fingir que ainda o tem. A todo custo.

Maria, que nem imaginava que um dia se encontraria nesta situação, quer apenas viver o seu grande amor, quer criar seu filho num ambiente seguro, quer viver, quer ser feliz, como todo mundo sempre quis.

Ele, o senhor, com seus 50 e poucos, quer paz. Quer o direito de ser feliz com quem julga agora ser a pessoa certa. Quer usufruir da sua maturidade e viver a plenitude de um novo amor jovem e renovado.

Todo mundo tem seu lado da história, todo mundo tem sua história. Escolham bem os caminhos de vocês meus amores e nunca esqueçam, família vem sempre em primeiro lugar, pois é ela quem faz seus dias serem mais felizes quando tudo o resto estiver em falta.


Lembram sobre viver com as consequências das suas escolhas? Para mim não há certo ou errado nesta história, e não nos cabe julgar ninguém. Apenas acredito que terão que aprender e aguentar o que eles escolheram viver.

Foto da internet

Maria agora espera a ira e raiva da ex-mulher passar para ter um pouco de paz e conseguir viver o que planejou. A ex deve pensar todos os dias aonde errou, onde o amor acabou, quando começaram a viver juntos, mas separados. O marido tem um novo filho pra criar, e aguenta as consequências de ter mais de uma família para sustentar. O bebê, cresce sem ter pai e mãe em paz, por consequência de algo que ele nem imagina ou teve chance de escolher.

Quaisquer que sejam os rumos que a vida tomar, os caminhos que venham percorrer, lembrem-se sempre que o amanhã é resposta de hoje. Sejam pessoas boas, valorizem a nossa família, mesmo ela não sendo perfeita, respeitem e amem as pessoas, seus sentimentos, suas histórias. Não pensem apenas em vocês, mas não pensem muito nos outros e se esqueçam de vocês. Busquem a felicidade e viver os dias fazendo o que vocês gostam de fazer.  Se respeitem. Conversem com Deus, acreditem em Deus e tenham temor à Ele. Os desejos mais profundos dos seus coraçõezinhos será realizado se vocês realmente acreditarem e for o melhor para vocês e para aqueles que vocês acreditam essenciais. 

Contem sempre comigo, que sempre buscarei ser uma mãe legal e presente pra vocês. Papai é um cara incrível também! Ele ama a mamãe bem muito, e vocês vão sempre ser a melhor parte de nós.

Amo vocês.

Pra sempre mamãe.

*Fifi - Caso não falem nos dias de vocês mais essa palavra, ela significava no meu tempo fofoqueira, daquelas que não tem o que fazer e só falam da vida dos outros.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...